Sancerre rosé: E se fosse ele a estrela deste verão?

 

Toda a gente conhece o Sancerre branco! Mas sabia que também existe Sancerre rosé? É o Pinot Noir que lhe dá vida e é um autêntico sucesso. Estes vinhos cativantes, simultaneamente leves, intensos e muito aromáticos estão perfeitamente atuais. Então, adote rapidamente a "atitude Sancerre rosé"!

 

Sancerre Rosé: o estilo

O Sancerre rosé é o mais raro dos vinhos locais (cerca de 8% da produção) que existem em três cores. Sim, pois também se faz tinto em Sancerre, igualmente com Pinot Noir. A cor é muito pálida, praticamente como a casca de cebola e o aroma é explosivo, com incidência nas notas de citrinos e frutos de caroço (alperce, ameixa, pêssego…). O paladar é bastante prolongado e destaca um registo frutado intenso.

 

Sancerre rosé: a vinificação

A vinificação do Sancerre rosé produz-se por maceração, limitada no tempo, de variedades com pele negra. As técnicas de vinificação são muito rigorosas e em ponto nenhum da Europa está autorizada a mistura de vinho tinto e branco. São utilizados dois princípios diferentes.

O primeiro consiste em extrair por escoamento uma parte do sumo da cuba durante a vinificação do tinto. É o sangramento. Este método produz vinhos rosé de cor bastante intensa e a quantidade potencial produzida depende da concentração pretendida para o vinho tinto produzido. O segundo princípio é a pressurização direta que é semelhante a uma vinificação de vinho branco, seguindo-se uma estabilização e uma clarificação. Os vinhos obtidos são muitas vezes mais claros, ou até bastante pálidos, algo que corresponde à tendência atual. O domínio das temperaturas é, naturalmente, uma necessidade absoluta a fim de obter uma clareza e profundidade aromáticas irrepreensíveis.

 

Sancerre rosé: combinação comida-vinho

O Sancerre rosé é o vinho de convívio por excelência. É uma iguaria. Quem não gosta de iguarias? Poderia associá-lo a uma tábua de enchidos regionais, uma andouillette, um peixe grelhado, um prato exótico… E obviamente aos deliciosos queijos de cabra Crottin de Chavignol, que representam a combinação regional por excelência.

 

Sancerre rosé: a degustação

Escolhemos apresentar-lhe este Sancerre rosé 2013 da Casa Michel Vattan, que produz vinhos excelentes nas três cores, entre eles este rosé de estilo muito puro:

 

87/100 Michel Vattan rosé 2013

Bonita cor alaranjado pálido. Aroma a pequenos frutos vermelhos relativamente discreto. No paladar, é um rosé muito leve onde encontramos os pequenos frutos vermelhos associados a uma dimensão acidulada agradável. O final é tónico e bastante persistente. Para um prato doce-salgado, por exemplo.

 

Gosta de rosé? Não conhecia o Sancerre rosé? Conte-nos as suas reações e os seus comentários sobre este assunto.

 

 

Photo : ©-BestPhotoStudio_Fotolia_3

 
comments powered by Disqus

Descubra os nossos restantes artigos :

Porque é que o champanhe é efervescente?

Vinisud : De segunda-feira 15 a quarta-feira 17 de fevereiro

As novas gerações em Portugal

Top 10 das regiões produtoras de pinot noir

Save the date !

Madeira e vinho. Quando é que se conjugam bem?

Vinexpo : Taste the unexpected

Fascinantes champanhes Brancos de Uvas Brancas por François Gilbert, Vinitaly 2015.

Casa Rojo: Gilbert & Gaillard leva-o à Galiza

Transfira a aplicação Gilbert & Gaillard no seu telemóvel!

» Para Iphone : http://urlz.fr/21mA
» Para Android : http://urlz.fr/21mF

logo faceook logo twitter logo pinterest logo linkedin logo youtube

A revista

couverture du magazine du vin G&G

Os guias dos vinhos

Os guias dos vinhos
application iphone vin Gilbert & Gaillard

Transfira a aplicação Gilbert & Gaillard no seu telemóvel!

» Para Iphone
» Para Android

Top 100 dos vinhos espanhóis

Os 100 melhores vinhos espanhóis provados no último ano.