Porque é que o champanhe é efervescente?

Antes de obter um champanhe, o viticultor tem de vinificar um vinho dito tranquilo (não efervescente). Esse vinho sofre em seguida uma segunda fermentação que decorre em garrafa durante a qual é adicionado um licor, chamado licor de tiragem, que é uma licor de açúcares e leveduras destinado a produzir dióxido de carbono. Este fica retido na garrafa fechada e dissolve-se no vinho, criando assim a efervescência. O vinho deve em seguida ser aberto para libertar as leveduras mortas, sendo em seguida "doseado" em açúcar consoante o tipo de champanhe desejado: bruto natural, extrabruto, bruto, extrasseco, seco, meio-seco ou doce.

 

Depois de todas estas etapas, a pressão retida numa garrafa é de cerca de 3 a 6 bar, ou seja 3 vezes mais do que a pressão de um pneu de automóvel. Uma rolha pode ser projetada a uma velocidade de 40km/h, podendo mesmo atingir os 100km/h em certas condições! É por isso que uma garrafa de champanhe deve ser manipulada com a maior precaução para evitar acidentes.

 

Depois de ter removido o revestimento do gargalo, rode 6 vezes o anel de aperto da armação de arame e deixe-a em posição, mantendo sempre uma pressão sobre a rolha até à sua libertação, para impedir que salte. Inclinando ligeiramente a garrafa para o lado, rode a garrafa lentamente (não a rolha), e a rolha sairá facilmente.

bio-image
Nota